Quarta-feira, 5 de Janeiro de 2005

A Minha Geração

Jovens.JPG

Hoje em dia, com o aumento de conhecimentos e a melhoria das condições sanitárias e cuidados de saúde, tende-se a privar certos comportamentos, principalmente às crianças e aos jovens.



Eu, e os da minha geração, não tivemos nada disso. Tínhamos uma maneira diferente de viver, de experimentar tudo e mais alguma coisa, e no entanto não deixávamos de ser felizes e de ser saudáveis. Que saudades dos tempos de “gaiato”…



Antigamente não havia frascos para tapar venenos, prateleiras altas, para guardar os medicamentos, nem protecções especiais para tapar as fichas de electricidade e mesmo assim sobrevivemos.



Andávamos na rua até às dez da noite, a jogar futebol, a jogar às escondidas ou a andar de bicicleta nos montes cheios de espinhos, ortigas e lama, sempre em loucas correrias e chegávamos a casa todos sujos, cheios de sangue nos joelhos e nos cotovelos e mesmo assim sobrevivemos.



Sonhávamos com computadores e carros e imaginavam-se profissões, que iríamos ter um dia e no entanto, muitos destes sonhos, nunca se realizavam e mesmo assim nunca tivemos nenhuma depressão, nem precisámos de ir a nenhum psicólogo para tratar de crises passadas e mesmo assim sobrevivemos.



Na adolescência, com a mudança e a exploração do nosso corpo, cometemos alguns erros, para com nós próprios e mesmo mandando “umas passas” ou apanhando uma bebedeira, soubemos sempre destinguir o bem do mal e nunca caímos da tentação, nem ficámos agarrados, a algumas dessas coisas (salvo raras excepções claro!!!) e mesmo assim sobrevivemos.



Numa fase mais avançada, íamos aos cinemas com raparigas (no caso dos meninos) ou com rapazes (no caso das meninas), tínhamos encontros verdadeiramente românticos e mesmo assim nunca engravidámos (de uma maneira geral) nenhuma rapariga, nem fomos obrigados a casar à força, pelos pais delas, por pura e simplesmente irmos lá a casa jantar ou estarmos aos “linguados” com esta e mesmo assim sobrevivemos.



Chamaram-nos de “Geração Rasca”, porque sempre fomos diferente das gerações anteriores e por lutarmos e fazermos greve, defendendo sempre os nossos direitos e o melhor para nós e mesmo assim sobrevivemos.



Conclusão:



Soubemos mudar a mentalidade do País, questionar temas nunca antes pensados, progredir socialmente o nosso “Querido Portugal” e mesmo assim sempre nos soubemos impor e adaptar aos tempos modernos e às crises que surgiam.



Se o Português é por metáfora o fenómeno do “desenrasca-te ”, a nossa Geração é sem sombra de dúvidas o “ponto alto” desse fenómeno, pois até os dias de hoje, conseguimos viver as mais diversas situações de mudança, sabendo sempre acomodar, da melhor maneira possível, a elas.



É por causa disso que sobrevivemos e por mais grave que possamos estar, continuaremos sempre a sobreviver, por mais anos que pertençamos ao “Mundo dos Vivos”!!!

publicado por Pica às 23:44
link do post | comentar | favorito
|
15 comentários:
De Anónimo a 29 de Janeiro de 2005 às 22:12
Bem!!! Lembro-me agora que na latada do ano passado fui de saia amarela, feita de plástico e meias de lycra amarela e branca (cores de Enfermagem)... para não falar dos tótos na cabeça feitos com elásticos com várias cores (na altura tinha o penteado `
a betinho...). Por acaso foi bem divertido!!! o ano de caloiro é o melhor!!! Xau!!!Pica
(http://Picanucu.blogs.sapo.pt)
(mailto:NunitoSantos@iol.pt)


De Anónimo a 29 de Janeiro de 2005 às 21:59
Lycra não é bem o meu estilo. Embora, eu até aos meus 3 anos e quando jogava futebol, sempre que fazia frio, usava "meias calças" (mais comummente chamadas de Ceroilas)... se bem actualmente, com o frio que está, até a ideia da Lycra não seria nada de se deitar fora. Portate!!! Pica
(http://Picanucu.blogs.sapo.pt)
(mailto:NunitoSantos@iol.pt)


De Anónimo a 29 de Janeiro de 2005 às 01:44
Gyllenha fico agradecida pela correcção, sempre fico a saber mais qualquer coisa!! Sr. “picovsky” (desculpa aí, mas hj deu-me para “russices”), a essência da Lycra é algo de transcendental aos comuns mortais do nosso tempo. Bem, quero com isto dizer que, há séculos e séculos atrás os homens tinham um golpe de vista mais “apurado” que os contemporâneos, à excepção dos amantes dos chifres (os toureiros, claro está!). Isto porque, conscientes do seu templo venerado por todas aquelas beatas que timidamente evidenciavam a ausência da bela da coequinha branca com rendinha (mimosamente bordada pla mamã, num serão junto à lareira), deslizando a borda do vestido até à Zona P (Proibida) ansiosas por serem absolvidas de seus pecados pecaminosos; optaram por realçar os contornos do seu templo, numa intenção de “facilitar” a adoração do mesmo!Eis que surge a Lycra, a bendita elasticidade! O que seria das beatas se a Lycra evaporasse? É vê-las aos magotes nas touradas… Como podes ler, até se torna normal essa tara por Lycra por parte do nosso Afonsito! Aconselha os teus amigos, aliás, é sempre um magnífico e desejado presente de aniversário, fica sempre bem a qualquer altura do ano. Até pode ser que a moda pegue, e tu próprio adiras (porque não?!)! Quiçá! “(…) mas, como em tudo, alguém teve de ficar para trás (…)” – ou pelo MEIO! Inevitável… fica elasticamente bembela
</a>
(mailto:merllin1@hotmail.com)


De Anónimo a 23 de Janeiro de 2005 às 21:36
Que pena!!!Como eu gosto de te "picar"... Beijinhos!!!Pica
(http://Picanucu.blogs.sapo.pt)
(mailto:NunitoSantos@iol.pt)


De Anónimo a 23 de Janeiro de 2005 às 19:47
Amore,para tua infelicidade não sou lésbica, que chatice não é?Quanto a essa parte de quem mais fala é quem mais é,tu és das últimas pessoas que pode dizer isso,vá-se lá saber porquê.É uma mera questão de reveres alguns dos teus comentários e não só.Beijinhos amoreGyllenhall
</a>
(mailto:gyllenhall@iol.pt)


De Anónimo a 22 de Janeiro de 2005 às 17:29
Weggy, eu sou apologista da filosofia que diz que: “devemos recordar o passado, viver intensamente o presente, para que assim, não façamos os erros do passado e planear devidamente o futuro” Agora entendes o sentido do artigo? Portate!!! Pica
(http://Picanucu.blogs.sapo.pt)
(mailto:NunitoSantos@iol.pt)


De Anónimo a 22 de Janeiro de 2005 às 17:23
Gyllenhall!!! Vejo que continuas atenta e assídua, aqui no meu blog. Pois, nesse aspecto eu concordo contigo e já referenciei isso. Lá andas tu com a paneleirice na boca. Por acaso não és Lésbica, pois não? É como andas sempre a falar no mesmo assunto…(e como dizem os miúdos “quem mais fala é quem mais é!!! entendes-me!!!) Beijinhos também para ti!!!Pica
(http://Picanucu.blogs.sapo.pt)
(mailto:NunitoSantos@iol.pt)


De Anónimo a 22 de Janeiro de 2005 às 17:15
Bela!!! Palavras para quê. Só quero acrescentar umas coisas. Dissestes que eramos seres sócio-culturais, pois eu digo (segundo Virginia Henderson) que somos seres bio-psico-socio-culturais e espirituais, pois somos fruto precisamente desses factores. Quanto aos “pedrados” concordo contigo e o Afonso Henriques, de certeza absoluta que bebia uns “chazitos”, pois para andar de licra e fazer uma guerra contra a sua própria mãe, por causa de um “bocado de terra”, não é lá muito normal. Claro, que existe no mundo dos animais racionais os 3T, (hetero, homo e bi), mas, olha que, também no mundo dos irracionais, de certeza absoluta, que também há muito dessas “manias”. Quanto ao Herman… não faço comentários… talvez!!! Realmente quanto aos tiros de caçadeiras, nos sítios mais comprometedores,… houve “baixas”, como em todas as guerras… mas, como em tudo, alguém teve de ficar para trás. Fica bem!!! Pica
(http://Picanucu.blogs.sapo.pt)
(mailto:NunitoSantos@iol.pt)


De Anónimo a 11 de Janeiro de 2005 às 23:45
hum... deu-lhe criticar a evolução da espécie. Quanta nostalgia aí vai,só faltava dizer:"no meu tempo..." fuck, deves tar é a gozar;quem se remete p´ro passado é porque está com problemas no presente e antevê um futuro,o qual receia.
Cuida de ti mas é, olha que a vida não é assim tão má.weggy
</a>
(mailto:weggy_05@msn.com)


De Anónimo a 11 de Janeiro de 2005 às 22:37
Amore,deves ter dado uma boa batidela com a cabeça que fez acordar qualquer coisita esse cérebro.Isto porque escreveste um post um nadinha melhor e diferente do teu género de post's habituais.Uma pequena correção no comentário da bela.A paneleirice está bem vingada nos animais irracionais e estudos,documentários (já deram uns quantos no Discovery Channel, na SIC, National Geografic)e publicações provam-no.E pelo que se diz nestes documentários,esta paneleirice nos animais irracionais já existe à uns tantos milhares ou mesmo milhões de anos.Aqui está uma prova de que um mal nunca vem só.Cuidado piquinha,com esta crescente da paneleirice ainda podes ser apanhado (se é que já não foste) e aí serás mais um coitado que leva "picas" no cu (se é que faço entender). Beijinhos amoreGyllenhall
</a>
(mailto:gyllenhall@iol.pt)


Comentar post